Número de jovens obesos quase dobra em 10 anos

Dados inéditos do Ministério da Saúde mostram que 18,9% da população acima de 18 anos nas capitais brasileiras é obesa.

O percentual é 60,2% maior que o obtido na primeira vez que o trabalho foi realizado, em 2006, quando essa parcela era de 11,8%.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já considera que a obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, podendo ser chamada de epidemia mundial.WhatsApp Image 2018 06 21 at 20.09.53 300x200 - Número de jovens obesos quase dobra em 10 anos

Preocupada com a saúde da população, a deputada federal Soraya Santos elaborou o Projeto de Lei 1551/2015, ele permite que a pessoa jurídica deduza do imposto de renda despesas com pagamento de esportes ou exercícios físicos para os empregados obesos. Além de também permitir que as pessoas físicas com obesidade deduzam despesas com atividade física, alterando, portanto, a Lei nº 9.250, de 1995.

A parlamentar questiona o valor a ser pago por uma doença que ataca um a cada cinco brasileiros. “Ele incentiva as empresas a terem uma política interna, como pessoa física, de estímulo ao esporte, porque o esporte é uma das ferramentas mais eficientes no combate à obesidade – uma das mais eficientes”, explica.

Estimativa OMS

A estimativa é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. Observa ainda que, caso nada seja feito, existirão em torno de 75 milhões de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo.

Em níveis internacionais, segundo estudo da Fardo Global das Doenças, considera-se que a obesidade tem causado a morte de milhões de pessoas. Cerca de 2 bilhões de adultos e crianças, o que corresponde a 30% da população mundial, sofrem com problemas de saúde relacionados ao excesso de peso.obesidade 300x144 - Número de jovens obesos quase dobra em 10 anos

Entre as doenças mais relacionadas ao sobrepeso e à obesidade estão: câncer de esôfago; câncer de tireoide; câncer de cólon; leucemia; bem como doenças cardíacas, derrames e diabetes, além de aumentar as chances de deficiências causadas por lesões musculoesqueléticas.

De acordo com a deputada Soraya Santos não podemos deixar que o país seja dominado por esta condição. “Hoje, só de crianças são 34% que já apresentam obesidade. O que se dirá das mulheres, que são as mais afetadas? Isso é alarmante!”

Leia mais: Lei autoriza venda de inibidores de apetite

De acordo com alerta da OMS as Américas têm duas vezes mais obesos que a média mundial.

Indicadores do Ministério da Saúde demonstram que a obesidade no Brasil aumentou em 60% nos últimos 10 anos, além do aumento do excesso de peso, que passou de 42,6% para 53,8%. Pesquisas apontam ainda que Porto Alegre é a capital que possui a maior quantidade de pessoas com excesso de peso (55,4%), seguida por Fortaleza (53,7%) e Maceió (53,1%). Já a capital que possui mais obesos é Macapá (21,4%), seguida de Porto Alegre (19,6%), Natal (18,5%) e Fortaleza (18,4%).

Prática de esportes

Diante deste cenário é necessário que os países se preocupem com as maneiras de evitarem que os índices de obesidades aumentem.

A prática de esportes é reconhecidamente eficiente para o controle da obesidade. Portanto, é necessário que existam incentivos que possibilitem a democratização do acesso à prática de esportes.

Para a OMS é considerado indivíduo ativo regular aquele que pratica alguma atividade física pelo menos três vezes por semana, em seu tempo livre, com duração mínima de 30 minutos. Os benefícios advindos dessa prática são muitos, dentre eles:

  • Diminui o risco de doenças do coração, pressão alta. Osteoporose, diabetes e obesidade;

  • Aumenta a resistência muscular;

  • Melhora o nível de colesterol sanguíneo;

  • Combate a insônia;

  • Alívio de estresse;

  • Auxilia no tratamento da depressão; etc.

Fonte: Veja

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
Fechar Menu