Estilista se veste de Mulher Maravilha para fazer trabalho voluntário com crianças em SP: ‘Empoderamento’

A estilista paulistana Andreia Alvarez, 44 anos, morava na Espanha em 2012 quando decidiu terminar um casamento abusivo, voltar

Foto Renata Rodrigues CândidoDivulgação 200x300 - Estilista se veste de Mulher Maravilha para fazer trabalho voluntário com crianças em SP: 'Empoderamento'
Foto: Renata Rodrigues Cândido/Divulgação

para o Brasil e se dedicar ao trabalho voluntário em instituições de caridade de São Paulo.

O diferencial da história de Andreia é que ela costuma fazer visitas a crianças e a mulheres vítimas de violência usando uma fantasia da Mulher Maravilha.

A escolha da personagem – que faz o maior sucesso entre crianças e mulheres adultas – foi escolhida como forma de empoderamento, primeiro dela e depois para conscientizar as mulheres que ela visita em projetos sociais.

“Eu estava em um casamento falido. Meu ex-marido me dizia que eu estava velha e acabada e que ninguém iria me querer. Eu sofria todos os dias com esses comentários. Caí em uma depressão muito forte e estava isolada do mundo, já que morávamos na Espanha”, relembra Andreia.

A virada aconteceu quando ela resolveu se vestir de pin up para uma sessão de fotos.

“Naquele dia eu me empoderei com aquela roupa e decidi terminar o casamento. Foi muito incrível, meu filho de 12 anos não me reconheceu. Eu estava muito mal, mas naquele dia eu me reergui. Me senti feliz, livre e empoderada sem aquele casamento opressor. Foi aí que resolvi levar para outras mulheres minha experiência”, relembra Andreia.

Trabalho social

De volta ao Brasil, Andreia passou a se dedicar ao trabalho voluntário com crianças especiais e entrou para o grupo Super-heróis da Alegria (SHA) que atua em diversas instituições, sempre vestida de Mulher Maravilha e falando sobre empoderamento feminino.

“Tento mostrar às mulheres que elas têm de se colocar em primeiro lugar e ser protagonistas de suas próprias histórias, ir atrás dos seus sonhos. A mulher tem de descobrir o que a faz feliz – o seu propósito de vida você descobre indo ao encontro do que te faz mais feliz, é nisso que você pode colaborar com a sociedade. E toda mulher é capaz de tudo, você pode ser sua própria Mulher Maravilha. Uma mulher Maravilha nunca aceita um não”, diz ela.

Foto Renata Rodrigues Cândido Divulgação 1 300x225 - Estilista se veste de Mulher Maravilha para fazer trabalho voluntário com crianças em SP: 'Empoderamento'
Foto: Renata Rodrigues Cândido/Divulgação

Andreia tem um carinho especial pelo trabalho social com as crianças.

“Elas acham que eu sou a Mulher Maravilha. As crianças realmente precisam de carinho. A gente chega e recebe abraço, beijo. Esse é meu trabalho. Eu me realizo como ser humano dando carinho para outras pessoas”.

Em uma das visitas, Andreia conheceu Ester, uma menina de 6 anos que tem mielomeningocele, tipo de má formação na espinha dorsal. Ela é atendida pelo NAB (Núcleo Assistencial Brasilândia), na Zona Norte de São Paulo.

“A Ester tem o maior sorriso que eu já vi, fiquei apaixonada por ela. Fizemos uma sessão de fotos com ela vestida de Mulher Maravilha também”, diz.

A mãe de Ester, Luciana Maria da Conceição, 38 anos, conta que a visita e a sessão de fotos fizeram muito bem à filha.

“Foi um dia lindo e mágico na vida da Ester, as fotos ficaram lindas. Ela tem a Andréia como se fosse a verdadeira Mulher Maravilha, na escola ela conta que conhece a personagem”, diz Luciana.

“Todos eles acreditam em mim, sempre acreditaram. Eu conheço a verdadeira. Eu amo, sou a maior fã dela, eu adoro ela”, interrompe Ester para ela mesma contar.

Foto Renata Rodrigues Cândido Divulgação 225x300 - Estilista se veste de Mulher Maravilha para fazer trabalho voluntário com crianças em SP: 'Empoderamento'
Foto: Renata Rodrigues Cândido/Divulgação

Em outra ocasião, Andreia conseguiu uma doação e vestiu todas as crianças com roupas de Mulher Maravilha.

“Todo mundo deveria ser voluntário, isso eleva o ser humano. Você doa um pouquinho de você e recebe o mundo. É fantástico”, opina.

Agora, Andreia busca patrocínio para financiar um calendário onde ela posa como pin up para arrecadar verba e seguir com o projeto de voluntariado.

“Mudou minha vida completamente a minha vida. A gente tem de sentir no coração, não se força ser voluntário. É muito maravilhoso. Fazer voluntariado é meu propósito de vida.”

Fonte: G1

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
Fechar Menu